SINDESP

Atividades para a saúde mental do idoso

JESS-PORTAL DA NOTÍCIA – EDIÇÃO 2.648 –SINDESP.ORG.BR

O cuidado com a saúde mental do idoso é um assunto muito importante. Se a vida atribulada afeta em cheio os mais jovens, tampouco deixa os mais velhos passarem em branco. Angústias, incertezas, apreensões. Medo até da solidão. Tudo isso forma um caldeirão de pensamentos na vida do idoso. Olhar com a devida atenção para essas situações é ainda mais necessário com o passar dos anos.

Por conta disso, uma série de atividades que ajudem a preservar a saúde mental do idoso soam tão necessárias. “Torna-se perceptível quando é percebido um choro constante, irritabilidade, já não existe ânimo para atividades que fazia antes, incluindo as que davam prazer. Também é comum em idosos nesse quadro é o descaso pela higiene pessoal”

Saúde mental do idoso

A situação dos idosos é sinônimo de constantes estudos. Uma pesquisa sobre qualidade de vida e depressão nessa faixa etária descobriu que o convívio social pode influenciar na forma de se sentir dessas pessoas. Em tese de doutorado, Bruno Araújo, do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde do Centro de Ciências da Saúde (CCS/UFRN), aborda estes temas. De acordo com a tese Qualidade de vida e sintomas depressivos em idosos da atenção primária à saúde: o estudo de intervenção e comparativo no Brasil e em Portugal, estar junto da pessoa e estreitar um laço de confiança entre quem cuida do idoso e o paciente colabora especialmente para sua saúde mental. Essa afinidade deve ser implementada onde é notada a ausência de condições para a implementação de hábitos saudáveis, além dos cuidados básicos de saúde. A Atenção Primária à Saúde (APS) é dotada de profissionais que agem em contato direto com essas pessoas. Algumas coisas podem, em um primeiro momento, serem feitas para mitigar essa questão da saúde mental do idoso. Para Salete Melo, é necessário observar se as queixas possuem um motivo específico, além de estimular a fazer novas atividades, ter um hobby novo e um tempo de qualidade.

Estímulo à memória

Quando o idoso possui as funções cognitivas preservadas, isso auxilia para o desenvolvimento, autonomia e independência por mais tempo. “Além disso, precisamos olhar o ser humano com os aspectos físicos, mas também cognitivos e sociais para que assim haja um bem-estar geral. Tão importante quanto exercícios físicos, os exercícios mentais contribuem para o auxílio da memória, mas também para coordenação e equilíbrio”, acrescenta a especialista. Uma das melhores formas de treinar a memória e cultivar a boa forma do cérebro é a partir dos jogos cognitivos. QUEBRA-CABEÇAS, cruzadinhas, memory games e mesmo partidas de tabuleiro, como damas e xadrez, aparecem como ótimas opções. Esses momentos proporcionam exercícios à mente, mas também oferecem uma boa oportunidade para reunir a família e criar bons momentos de carinho, chave para que o nosso ente se sinta mais querido. Essas ações, aparentemente simples, redundam em inúmeros benefícios, que fazem toda a diferença para a qualidade de vida da pessoa mais velha. Outra opção é a leitura. Um hábito por vezes deixado de lado, mas que pode ter um papel crucial no estímulo da memória em idosos. Ele vai demandar o foco do idoso, que necessitará processar uma gama de informações para assimilar o contexto. Isso ajuda a trabalhar a memória de curto e longo prazos, além de aguçar a absorção de novos dados.

Informação e cuidados

Uma das características do nosso tempo é o alto volume de informações, provenientes de diversas fontes. Seja da TV, do jornal, do rádio, da internet, das redes sociais… É um legítimo “bombardeio”. Ter parcimônia é o caminho, especialmente para os idosos. “O equilíbrio é indicado a todos, incluindo os idosos. Está aí mais um indicativo da importância de atrelar uma rotina que inclua atividades e hobbies”, destaca Salete Melo, da Senior Concierge. Segundo a especialista, quando inerte, o idoso pode ficar por muito tempo acompanhando noticiário em frente à TV ou internet. Por isso, é importante promover atividades para reduzir o stress, sendo praticadas com segurança – dentro de casa ou ao ar livre. “Jogos de tabuleiro, caminhadas, tocar um instrumento são exemplos de atividades que ajudam a diminuir o stress e criar maior qualidade de vida”. A profissional lembra que o papel dos familiares é importante em todo o processo de manutenção da saúde mental do idoso. “A família é um importante vínculo social na vida do idoso. Proporcionar momentos de conversas, memórias boas e partilhando de atividades em conjunto, podem beneficiar muito o convívio e a saúde mental”. Por isso, Salete Melo explica que é preciso entender que não basta apenas ter uma lista de atividades e tarefas a serem executadas para preencher a agenda. “O idoso precisa ser estimulado a fazer atividades que são prazerosas para ele e mesmo incentivar a novas descobertas”, finaliza. Quer saber mais informações relevantes para preservar a saúde dos idosos?

Fonte : Jornal Estadão