SINDESP

Diplomação e Posse da Nova diretoria do SINDESP

Para dirimir dúvidas quanto ao processo eleitoral e a posse dos eleitos, cabe-nos informar:

O processo eleitoral foi desencadeado a partir da nomeação da Comissão Eleitoral através de Edital publicado nos jornais DIÁRIO DO NORDESTE e O POVO, datado de 09 de outubro de 2017. O processo ocorreu no dia 27 de outubro em Fortaleza nos campi de Fátima (CH) e Itaperi, em Sobral, em Limoeiro, em Iguatu e no Crato, sem nenhuma anormalidade.

A posse dos eleitos em Assembleia Geral especialmente convocada para essa finalidade através de edital publicado nos jornais DIÁRIO DO NORDESTE e O POVO, com data de 21 de novembro de 2017 cotejando os artigos 22, 36-II e 75§2º do estatuto. A competência da posse é do presidente da Comissão Eleitoral. Leiamos o que diz o artigo 75 no seu § 2º: “Realizadas as eleições e proclamados os resultados pela comissão eleitoral esta terá um prazo de máximo de 30 (trinta) dias para, através de uma Assembleia Geral Extraordinária – AGE – específica para tal fim, dar posse aos eleitos, cujos mandatos iniciar-se-ão no dia da posse e terminarão no dia 31 (trinta e um) de dezembro de 2019(dois mil e dezenove)”.

A posse ocorreu em Assembleia Geral Extraordinária no dia 24 de novembro, dentro do prazo legal de 30 dias), foi convocada através de edital publicado em dois grandes jornais no dia 21 de outubro. Tidas as exigências foram cumpridas.

Fica claro que a convocação da Assembleia Geral Extraordinária é da competência do Presidente do SINDESP, mas a posse dos eleitos é a da competência da Comissão Eleitoral.

Feitos estes esclarecimentos consideramos irresponsáveis as acusações de ilegalidade no processo eleitoral e na posse dos eleitos.