SINDESP

Fósseis Repassados Pela Pf À Urca Contam Com Peça Rara De Preguiça Gigante

JESS-PORTAL DA NOTÍCIA – EDIÇÃO 2.620 – SINDESP.ORG.BR  

PREGUIÇA GIGANTE OU TERRÍCOLA – MAMÍFERO PRÉ-HISTÓRICO QUE HABITOU A AMÉRICA
Realizou-se, recentemente, a solenidade de entrega de 21 peças fósseis apreendidas em inquéritos da Polícia Federal. O evento aconteceu na sede do GEOPARK ARARIPE em Santana do Cariri CE) com representantes do Ministério Público Federal, Polícia Federal, GEOPARK ARARIPE SECITECE, Museu de Paleontologia Plácido Cidade Nuvens, Laboratório de Paleontologia, pesquisadores, pró-reitores e Reitoria da URCA.

Entre os materiais apreendidos e doados à URCA estão fósseis de uma preguiça gigante, PTEROSSAURO e peixes. Durante a solenidade, foi realizada a assinatura do termo de entrega dos fósseis. O momento contou com a presença do Reitor da URCA, o diretor do museu de Paleontologia, Plácido Cidade Nuvens, representante da Polícia Federal e outras autoridades de diferentes segmentos sociais .O diretor da PF destacou a importância de entregar à Universidade as peças, afirmando ser o lugar adequado para estudo desse material, que considerou da mais alta importância. Somente ano passado foram devolvidas, com repatriamento de grande parte dos fósseis, cerca de 500 peças à URCA e Museu de Paleontologia, em Santana do Cariri. Ele ainda destacou a importância de capacitar os policiais para que possam entender melhor a importância desse patrimônio. Professor ALYSSON Pinheiro, destacou a importância do repasse do material do escritório do extinto Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) que ainda se encontra no prédio do Museu, em Crato. O procurador do Ministério Público Federal (MPF), Celso Leal, se propôs a avaliar mais a questão relacionada à destinação desse material.


O ex-Secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Inácio Arruda, destacou a importância da recuperação de peças importantes do sítio paleontológico, e destacou a relevância da PF, MPF e da diplomacia brasileira em relação aos fósseis que e estão em outros países e que pertencem ao Brasil. Ele afirma que a URCA passa a ser guardiã, junto ao Museu, e é importante que a universidade se prepare mais para receber esse material, ampliando a discussão para a criação de um museu que abrigue a diversidade científica existente na região. O Secretário da SECITECE, Carlos Décimo, classificou o dia das doações de peças como histórico para a URCA, o povo cearense, o GEOPARK, e o povo do Cariri. Ele agradeceu por estar participando da solenidade de entrega e disse que esse era um momento glorioso. “As peças retornam ao solo sagrado, de onde jamais deveriam ter saído, cumprindo o preceito constitucional”, afirma. Para o diretor do GEOPARK ARARIPE, Eduardo Guimarães, poderia ser apenas uma peça para justificar toda a ação, o movimento. Ele destaca a importância do GEOPARK e todas as colaborações que são dadas e a capacidade que o projeto tem de formar capital intelectual.

“Mais de mil bolsas ofertadas de ensino, pesquisa, e extensão, através do GEOPARK”, destacando a contribuição do Governo do Estado, PF, URCA, do MPF, no atual cenário. “Diante desse impacto já existem instâncias nacionais e internacionais devolvendo os fósseis de nossa região”, avalia. O Vice-Reitor, Carlos Kleber de Oliveira, destaca o empenho e reconhecimento, na prática, e na possibilidade de receber recursos para esse trabalho e fortalecimento do patrimônio. Ele agradeceu a participação dos pesquisadores da URCA, do GEOPARK ARARIPE, os pró-reitores, todos que participaram, além da PF, por reconhecer a importância de entregar a universidade. O Reitor da URCA, Professor Lima Júnior, lembrou que os fósseis não são apenas a Paleontologia em si, mas fazem parte da educação ambiental e da história natural. Ele ressaltou o importante trabalho desempenhado pelos pesquisadores, a equipe do GEOPARK, além da importância na devolução do material ao Museu de Paleontologia, como espaço de visibilidade e produção, e a instituição legítima para as pessoas que têm a ver com esse patrimônio.

Entre os materiais apreendidos se encontra um fóssil da MEGAFAUNA, uma preguiça gigante, do período pleistoceno, que provavelmente foi achado no sopé da Chapada do Araripe, além de peças de PTEROSSAUROS, peixes e plantas. Segundo o doutor em paleontologia, RENAN BANTIM, esse achado representa uma oportunidade de desenvolver mais a pesquisa, com possíveis grandes descobertas, através de um material que antes estava parado.


 
FONTE: URCA – NOTÍCIAS