SINDESP

Lançado em 10/08/2021 o Inventário da Fauna de Invertebrados do Ceará

JESS – Portal da Notícia – Edição 2.051 – sindesp.org.br

O Inventário da Fauna de Invertebrados do Ceará trata-se de um levantamento inédito de animais que habitam os mais diversos ambientes e apresentam grande valor para o equilíbrio da natureza, sociedade e economia. O trabalho foi feito por mais de 68 especialistas de 21 universidades, dentre elas a Universidade Estadual do Ceará (UECE), e institutos e compila informações de séculos de pesquisas. Este inventário é o capítulo final de uma trilogia que visava mapear a vida no território cearense. Em fevereiro de 2021, foi lançado o Inventário de Fauna de Vertebrados com 1.275 espécies. Em maio de 2021, o Inventário de Flora com 2.465 espécies.

Agora, este último levantamento a ser lançado contem cerca de 2.315 espécies de invertebrados. Esses animais ocorrem em distintos ambientes como sertão, manguezais, chapadas, serras, rios, lagoas, e ambiente marinho raso e profundo. Nesse contexto, o inventário de invertebrados possui 19 grupos distintos, incluindo abelhas, ácaros, aranhas, escorpiões, corais, águas-vivas, hidras, caranguejos, lagostas, estrelas-do-mar, formigas, polvos, lulas, bivalves, esponjas, cupins, vespas, dentre outros.

Essas espécies possuem grande importância econômica (por exemplo, como as lagostas, caranguejos e camarões no litoral), de inspiração e beleza (por exemplo, as borboletas), social (garantia de segurança alimentar e cultural incluindo artesanato como os moluscos) e ambiental para fins de conservação, equilíbrio do meio ambiente e provisão de serviços ambientais como, por exemplo, as abelhas que fornecem o serviço de polinização e a garantia dos cultivos agrícolas.

Assim, em menos de 1 ano, foi finalizado o mapeamento da biodiversidade que existe no território cearense que tem, no mínimo, 6.048 (seis mil e quarenta e oito) espécies de animais e plantas. A ideia é que o inventário digital auxilie na elaboração de políticas públicas para a conservação, nos estudos de biotecnologia, na avaliação de impactos de empreendimentos, saúde pública, segurança alimentar e no conhecimento das variadas espécies pela sociedade.

O produto será de livre acesso, com atualização constante, e terá como público-alvo gestores públicos, empresas, ONGs, estudantes, pesquisadores e sociedade em geral, estando disponível no site da SEMA. O produto é inovador no âmbito do Estado do Ceará e do Brasil e é produto do programa Cientista-Chefe em Meio Ambiente.

FONTE: UECE –NOTÍCIAS