SINDESP

Viver em Sociedade

JESS – Portal da Notícia – 1.572 publicadas – sindesp.org.

O mundo está doído, machucado, mal tratado e precisando de gente para cuidar dele. Só que as pessoas que estão no mundo vivem repletas de expectativas dele, como se ele, o mundo, fosse o responsável por dar todo o suporte de resultados esperado. Lenine foi muito feliz quando escreveu a letra da música “paciência”: “A gente espera do mundo e o mundo espera de nós… Um pouco mais de paciência”.

O mundo não deve nada. As pessoas é que tem que parar de criar expectativas do mundo e fazer o seu mundo. As pessoas estão adoecidas, precisando de ajuda e serem tratadas. Sair um pouco do seu eu e perceber que vivem em sociedade. Viver em sociedade requer paciência e resiliência, porque estamos aqui para nos construirmos e só vamos conseguir erguer nosso equilíbrio quando enfrentarmos os estresses do cotidiano.

A vida editada trouxe uma busca desenfreada pela perfeição de valores e conceitos concebidos por alguém, que influencia outrem apenas por aproximar sua vida cotidiana: Uma armadilha que pode levar à depressão, a complexos de inferioridade e por aí vai. Na vida tecnológica tudo é rápido, fácil e especial. Um verdadeiro atalho para a felicidade.

Só elogios. Uma expedição gigantesca da felicidade e segurança para o novo desafio: Mundo. Mas o mundo não é uma máquina de produção de autoestima. Muito pelo contrário! O desmoronamento começa quando se percebe que o mundo maravilhoso não existe, que o que se quer tem que conquistar e, muitas vezes, esperar bastante! Tenho encontrado pessoas brilhantes intelectualmente, mas emocionalmente… Nem tanto! A gente vive na era nos ofendidos, onde tudo é ofensa ou ameaça, ninguém tolera brincadeiras e há um vitimismo exacerbado! Tudo gera reprodução alarmante, alcançando adesões rápidas e sem filtro de apuração dos fatos. Aceitar as diferenças é importante. Respeito é bom e todo muito gosta. Acontece que não se pode viver numa bolha de autoafirmação e ficar lamentando-se pelos cantos. Tem que furar a bolha do ego e enfrentar uma situação desconfortável com um diálogo aberto para que haja uma troca de ideias, pensamentos iluminados e não sair buscando aliados para pegar em armas.

Como bem disse Zilma Gurgel sobre resiliência: “Cultivar significados e emoções de modo positivo pode ser uma estratégia para a promoção e construção de habilidades e atitudes saudáveis frente as circunstâncias negativas”. Todos nós, diariamente, somos submetidos a situações que nos leva a tomar algumas decisões ou conviver com pessoas que gostemos ou não. O importante é não guardar mágoa, porque azeda! Tem que elevar a autoestima, construir valores dentro de você, porque, assim, quando despedaçar o seu ego não vai ficar tão evidenciado, já que a sua segurança é a sua autoridade. Construa sua fortaleza de verdadeiros valores e crenças. Aceite ser quem é e do jeito que veio ao mundo. Reconheça-se. Cada um tem o seu valor que, somado a outros, transformam o mundo e é isso que o mundo espera de nós: Transformação com resiliência.

FONTE: DIÁRIO DO NORDESTE 11/04/2021 JERITZA GURGEL